Translate

sábado, 21 de fevereiro de 2015

A mais bela da fauna - Aptostichus angelinajolieae Bond, 2008


Quando falamos de mulher bonita, Angelina Jolie é referência mundial! A atriz norte-americana foi eleita a mulher mais bela do mundo diversas vezes. Jolie também se destaca por ser embaixadora da ONU, realizando trabalhos humanitários. Uma espécie foi nomeada em homenagem a Angelina Jolie pelos trabalhos realizados. Mas, considerando sua beleza, nada mais lógico do que homenageá-la com algo bonito e fofo, não é?! Bem, não foi isso que aconteceu. Quem recebeu o nome da atriz foi uma aranha, que aos olhos da maioria não é nada bonita. Conheça então, a mais bela da fauna, a aranha Aptostichus angelinajolieae Bond, 2008.


Aptostichus angelinajolieae Bond, 2008 (Araneae: Euctenizidae)

Etimologia:
Apto = (do Latim, aptus) ligado, vinculado ou atado.
stichus = linha.
angelinajolie = Angelina Jolie.
-ae = radical indicativo de que o epíteto homenageia uma pessoa do sexo feminino.

-

Aptostichus angelinajolieae fêmea (95) e macho (96). Fonte: Bond 2012.
Uma aranha-de-alçapão da família Euctenizidae, pertencente à ordem Aranae, foi nomeada pelo pesquisador Jason E. Bond, em 2008, em homenagem à atriz norte-americana Angelina Jolie.

As espécies do gênero Aptostichus, em geral, possuem coloração marrom escura. Entretanto, a coloração do abdômen dos machos é, em sua maioria, marrom-avermelhada escura, enquanto as fêmeas possuem o abdômen com um fundo marrom claro ou cinza escuro e um padrão lembrando a disposição das listras dos tigres. As aranhas-de-alçapão variam do tamanho pequeno ao médio.

Aptostichus angelinajolieae é endêmica do Norte de Monterey, na Califórnia (EUA). As espécies do gênero são encontradas em todos os tipos de habitats e alguns fatores ecológicos podem modificar sua distribuição. É comum encontrar a fêmea em barrancos úmidos e sombreados, onde constroem suas tocas usando folhas, areia e sua teia, feita a partir das fiandeiras que estão localizadas na parte posterior do abdômen. São chamadas aranhas de alçapão por formarem esses buracos no solo, com uma espécie de “porta”, pela qual elas espreitam sua presa para capturá-la. As aranhas são predadoras, alimentando-se de baratas, moscas, grilos e entre outros artrópodes. No geral, para matar suas presas, usam as pontas das quelíceras, injetando veneno no animal capturado.

As fêmeas do gênero Aptostichus são difíceis de serem coletadas. Por isso, os pesquisadores esperam pelas chuvas de inverno, quando, após o ocorrido, as aranhas limpam suas tocas.
Alçapão de Aptostichus sp. Fonte: Bond e Opell, 2002.

O estado de conservação dessa espécie de aranha-de-alçapão é considerado não preocupante, pois é abundante e bem difundida nos locais onde aparece. O gênero Aptostichus possui 40 espécies, sendo 33 delas descritas de uma só vez. As espécies do gênero Aptostichus ocorrem todas nos Estados Unidos, sendo a maioria endêmica da região da Califórnia. Jason E. Bond descreveu praticamente todas as espécies do gênero Aptostichus e nomeou-as em homenagem a diversas outras personalidades, como Stephen Colbert, César Chávez, Juan Rodríguez Cabrillo, Bono Vox e Barack Obama.

Todas as aranhas são venenosas, mas nem todos os venenos são perigosos ao homem. Apesar da aranha-de-alçapão não ocorrer no Brasil, diversas outras espécies de aranhas ocorrem. Por isso, sempre tome cuidado e não provoque ou machuque as aranhas. É sempre melhor prevenir do que remediar!


Referências:
 

Bond, J. E.; Opell, B. D. 2002. Phylogeny and taxonomy of the genera of south-western North American Euctenizinae trapdoor spiders and their relatives (Araneae: Mygalomorphae, Cyrtaucheniidae). Zoological Journal of the Linnean Society, 136: 487–534. doi: 10.1046/j.1096-3642.2002.00035.x
Bond, J. E. 2012. Phylogenetic treatment and taxonomic revision of the trapdoor spider genus Aptostichus Simon: Aranea, Mygalomorphae, Euctenizidae. PenSoft Publishers LTD, p.59-69. ISBN 9546426644.
Ruppert, E.; Barnes, R. D. 1996. Zoologia dos Invertebrados. 6ª ed., Roca Ed., São Paulo. 1029p.


Autoria: Rayanne F. Ayres

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por enviar seu comentário!